Support & Downloads

Quisque actraqum nunc no dolor sit ametaugue dolor. Lorem ipsum dolor sit amet, consyect etur adipiscing elit.

s f

Contact Info
198 West 21th Street, Suite 721
New York, NY 10010
youremail@yourdomain.com
+88 (0) 101 0000 000
Follow Us

O que fazer em caso de pagamento em duplicidade

Os pagamentos em duplicidade são um assunto sério e medidas devem ser tomadas para evitar esse tipo de problema.

Gerir as questões financeiras da empresa com responsabilidade, além de ser uma boa prática de gestão, também será algo fundamental para evitar diversos tipos de erros e falhas no dia a dia da empresa. Um desses erros é o pagamento em duplicidade de débitos e contas que são compromissos do negócio.

Os pagamentos em duplicidade são um assunto sério e medidas devem ser tomadas para evitar esse tipo de problema. O processo para conseguir recuperar o valor pago a mais nem sempre é simples. Além disso, é importante destacar que constantes falhas nos pagamentos podem resultar em prejuízos no caixa da empresa. Ou seja, faltará receitas para pagar os demais compromissos bem como manter o funcionamento da empresa.

O que fazer quando esse problema acontece?

Para resolver esse problema, inicialmente é necessário identificar o pagamento em duplicidade e como ele foi feito. Se a conta foi paga diretamente pela conta bancária da empresa, por exemplo, então não há muito com o que preocupar-se. Em até 48 horas, contando apenas dias úteis, o valor referente ao segundo pagamento será estornado.

Além disso, vale destacar que o credor terá obrigação de devolver o valor pago em duplicidade. Portanto, mesmo que tenha havido uma falha interna na empresa ainda sim o credor deve fazer o estorno do valor. Sendo assim, o primeiro passo é entrar em contato com ele. A negociação se dará com base na forma de reaver o valor, seja o estorno em faturas seguintes, descontos em contas a vencer e etc. Geralmente os credores não optam por devolver a quantia em dinheiro em espécie.

Com isso, a negociação direta com o credor é o mais indicado a fazer para evitar demais processos burocráticos. Como há obrigação em lei para o ressarcimento do valor pago em duplicidade, então dificilmente o credor irá recursar reaver o valor. Entretanto, se ele negar o suporte, então, buscar os caminhos dos tribunais é o indicado. A justiça garante esse direito tanto a pessoas físicas como pessoas jurídicas.

Como evitar os pagamentos em duplicidade

A primeira dica é uma gestão financeira e, consequentemente, uma boa gestão de contas a pagar. Com maior controle das finanças e das contas que serão pagas dificilmente esse tipo de problema irá ocorrer.

Dessa forma, é importante separar as contas e boletos pagos em categorias, seja por meio de uma planilha ou software de automação. Essa prática irá facilitar a gestão das contas e será muito útil no caso de identificar bem como evitar possíveis pagamentos em duplicidade.

É fundamental ter à disposição da empresa um software de gestão comercial capaz de gerenciar as contas a pagar e receber. Ele não é apenas um diferencial e, sim, uma obrigação de qualquer empresa que deseja sobreviver no mercado atual.

Um programa capaz de administrar as contas a pagar e receber facilita o controle dos pagamentos e receitas. Além disso, será muito mais simples separar os boletos por categorias e, até mesmo, fazer o agendamento dos pagamentos por meio de integração com o Internet Banking.

Gálago

Uma vez já destacada a importância do software de automação comercial para o gerenciamento de contas a pagar e receber, o próximo passo é escolher o programa. Nesse caso a indicação não poderia ser outra que não o Gálago. Esse é um completo sistema de automação comercial, bastante interativo, com fácil navegação e com uma grande quantidade de ferramentas, de forma que ele poderá ser integrado em todos os setores e processos da empresa. São quase três décadas de atuação e aprovação no mercado.

Além de funcionalidades para fazer o controle de contas a pagar e receber o sistema ainda possui ferramentas para auxiliar a empresa em assuntos como:

  • Saber quando e como comprar;
  • Aplicar as margens corretas para obter os lucros planejados;
  • Fazer o controle correto do estoque;
  • Controlar o fluxo de caixa;
  • Ponto de equilíbrio da empresa;
  • Planejamento financeiro.

São mais de 150 relatórios gerenciais para que o empreendedor possa estar por dentro de todos os detalhes do funcionamento da empresa. Com isso, será muito mais fácil elaborar metas, projetar cenários futuros e colher os melhores resultados.

Para mais detalhes é só acessar aqui.