Support & Downloads

Quisque actraqum nunc no dolor sit ametaugue dolor. Lorem ipsum dolor sit amet, consyect etur adipiscing elit.

s f

Contact Info
198 West 21th Street, Suite 721
New York, NY 10010
youremail@yourdomain.com
+88 (0) 101 0000 000
Follow Us

NCM e Código de barras: qual a relação entre eles?

Manter o acervo de produtos da empresa sempre atualizado e com as informações devidamente corretas, é fundamental para o bom gerenciamento de um negócio.

Há questões que, por mais que sejam de ordem burocrática, como a exigência por notas fiscais, códigos de classificação como a NCM, acabam por auxiliar o empreendedor a organizar melhor seu estoque de produtos e a vida fiscal da empresa.

Porém, o preenchimento manual dessas informações não é tão simples. Um ponto que acaba por gerar questionamentos é a relação entre a NCM e o código de barras.

Diferenças e complemento

A NCM, Nomenclatura Comum do Mercosul, é um código de oito dígitos que deve sempre constar em nota fiscal. É utilizada para padronizar a classificação dos produtos em países do Mercosul. O código não é utilizado apenas em transações de importação e exportação, serve também para os produtos nacionais que circulam no país.

É útil para o governo, que se utiliza da NCM para verificar como andam os setores da economia e também pode ser benéfico ao empresário, já que a NCM divide os produtos em diversas categorias de acordo com sua natureza, facilitando a classificação em estoque.

A NCM também é utilizada para que ocorra uma correta tributação dos produtos. É preciso atenção ao classificar o produto, pois o erro na NCM de um produto pode gerar sérios problemas para o estabelecimento, já que pode ocorrer tributação diferente, gerando complicações com o Fisco.

O código de barras funciona como um documento de identificação do produto. Ele possui geralmente 13 dígitos (quando no padrão EAN/UPC) e um conjunto figurativo de barras. É por meio dele que uma empresa consegue identificar informações detalhadas sobre qualquer produto do estoque, como as datas de entrada e saída em estoque. A leitura do código de barras ocorre geralmente por meio de um leitor específico ou scanner.

Mesmo que um determinado produto seja comercializado por diferentes empresas, possuirá apenas uma NCM. Por exemplo, o pacote de feijão carioca – 1kg, mesmo com marcas diferentes, terá a mesma NCM em todos os casos. Ou seja, por mais que seja útil para classificar os produtos, a NCM não os diferencia por marca. É então que o código de barras facilita o processo, já que cada produto possui um código de barras único, ainda que possua a mesma NCM. Ou seja, NCM e código de barras são complementares. Enquanto a NCM classifica o produto, o código de barras identifica no sistema de estoque da empresa, trazendo mais finromações.

Software de automação comercial

É fundamentalter atenção ao classificar o produto pela NCM e também pelo código de barras, pois além de facilitar a identificação e organização das mercadorias, a chance de ocorrerem problemas fiscais e prejuízos financeiros ao negócio, fica muito menor.

A probabilidade de erros no preenchimento da NCM na nota fiscal, ou no cadastramento do código de barras, é considerável quando todo o processo é realizado de forma manual, sem o auxílio de algum software de automação que seja capaz de integrar todas as informações disponíveis sobre os produtos. Esses softwares realizam todo o trabalho de forma autônoma, eliminando a chance de erros por falha humana, aumentando a produtividade e, consequentemente, o faturamento do negócio.

O Gálago dispõe do mais completo sistema de automação comercial do mercado, contando com emissão e gerenciamento de notas fiscais, e mais de 150 relatórios gerenciais, desde controle do fluxo de caixa a pontos de equilíbrio, garantindo que a empresa tenha sempre sua vida financeira, fiscal e operacional organizada, alcançando maiores receitas e lucros.

Clique aqui e saiba mais.